"Que minha vida e minha glória sejam jogadas ao chão e do pó possa brotar um perfeito adorador" Filhos do Homem

quinta-feira, 10 de maio de 2007

Toque no altar X Trazendo a arca

É de conhecimento de todos que o ministério Toque no Altar sofreu algumas alterações no mês de fevereiro do corrente ano. A saída do cantor Davi Sacer e outros integrantes causaram uma série de questões que me levam a pensar no que pode acontecer quando alguém separado para o louvor passa a ser simplesmente um “artista”.
O ministério Toque no Altar tem sido o grande destaque da música evangélica nacional nesses últimos anos. Com três álbuns lançados já venderam mais de três milhões de discos, e tem tocado em todo o Brasil e exterior. E agora?
Como já postei anteriormente, o grupo já está preparando o próximo CD que deve levar o nome de “Fé e Ânimo” e o ministério continua mesmo sem os que saíram.
Davi Sacer, Verônica Sacer; Luiz Arcanjo e os outros que saíram do Toque no altar, montaram um novo grupo de louvor chamado “Trazendo a Arca”. Que já tem tocado em muitos lugares também.
Mas há entre esses dois grupo uma briga na justiça. De um lado o Toque no altar tentando impedir o nascimento desse novo projeto e de outro o Trazendo a arca fazendo sua defesa. Que você pode ler aqui.
O que me deixou intrigado ao ler a defesa da advogada do grupo Trazendo a arca, é quando ela diz: “Não existe no ordenamento jurídico pátrio a possibilidade de um músico ser compelido a permanecer em grupo musical. Assim como Ivete Sangalo deixou a Banda Eva, Cazuza deixou o Barão Vermelho, Rita Lee os Mutantes, Ney Matogrosso os Secos e Malhados, os integrantes do “Trazendo a Arca”, deixaram o “Toque no Altar” e formaram novo Grupo Musical.” Que estranho isso, que me perdoe o Pastor Davi, que com certeza é um homem ungido por Deus, mas essa doutora Flavia Marques Farias foi muito infeliz em comparar um ministério separado para o louvor do senhor com essas bandas de artistas seculares, e principalmente com pessoas que são completamente avessos a palavra de Deus. Homens e mulheres corrompidos nas drogas, homossexualidade e espiritismo. O que deu na cabeça dessa mulher? E o que está acontecendo com esses ministérios?
Será que esqueceram do chamado de Deus? Tornaram-se “artistas” e não mais “levitas”? Como que alguém vai trazer a arca dessa forma?
Que o Senhor venha abrir os seus olhos a tempo, e que esses dois ministérios que tem sido usado para abençoar muitas vidas voltem a ter a visão e principalmente a paixão por Cristo e pelas almas. E não o amor pela fama, dinheiro e outras coisas que a posição proporciona.
E que nós possamos orar por esses músicos e vê-los novamente cheios de amor e vivendo em comunhão, que é o principal mandamento de Jesus para nós no novo testamento. O amor.
Recomendo também para eles o livro do Pastor Marcos Witt; O que fazemos com esses músicos?

6 comentários:

Cris disse...

A Paz do Senhor Jesus meu querido Ruan.

Achei interessantíssima sua observação quanto aos Grupos "Ministérios de Louvor" Toque no Altar e Trazendo a Arca. Embora eu goste e admire os lovores de ambos os grupos, confesso que fiquei bastante decepcionada com a posição tomada pelos dois grupos.
Viver a palavra do Senhor é bem mais que louvar é testemunhar...
e nisso infelizmente ambos deixaram a desejar.
Esperava mais deles... principalmente por dizerem conhecer tão bem a palavra do Senhor.

Vamos orar para que Deus os convensa de seus erros e os façam verdadeiros adoradores e nao apenas artistas entitulados "de Cristo".

Cristiane de Souza
Brasília-DF.

Cristina disse...

Temos que ter ciência que, ser homens de Deus não significa que não erramos ou sejamos extra-terrestres. O público evangélico tem uma visão errônea que músico cristão é apenas levita, que não tem problemas, temores, limitações. É mentira!!! Temos sim. Temos desejos, agora, claro, buscamos estar sempre de acordo com a vontade do Pai. Mas, eles são músicos, artistas, que estudaram pra isso, que batalham todos os dias para ter o pão de cada dia. Afinal eles não podem viver apenas de ar. Então, o espiritual, claro, faz parte disso tudo, o desejo de fazer a vontade do Pai, e é ai, também, onde o inimigo gosta mais de atuar, contradizendo as coisas, colocando dúvidas em nossos corações, como foi no Jardim do Édem. Não vamos julgar um fato que não temos conhecimentos claros. Vale a pena apenas aproveitar a parte boa: que é ouvir, cantar e adorar a Deus.
Até os grandes homens de Deus comenteram erros: Moisés, Josué, Davi, Salomão. Não olhemos o homem, que, com certeza, vamos nos frustar. Olhemos para o Autor e Consumador da nossa fé: Cristo Jesus.

Osiel disse...

Acho Tudo isso um besterol. Os caras tem mesmo é sair desse ministério e viver independente de outras pessoas. Eles são artistas sim e eu queria estar no lugar deles. Eles tem que procurar o melhor comercialmente falando.

Abraços

Osiel disse...

Acho Tudo isso um besterol. Os caras tem mesmo é sair desse ministério e viver independente de outras pessoas. Eles são artistas sim e eu queria estar no lugar deles. Eles tem que procurar o melhor comercialmente falando.

Abraços

Moska disse...

Olha a materia é bem esclarecedora, pelo menos para mim, agora não vi nenhum mau nos exemplos citados doutora Flavia Marques Farias, a vida que eles levam diz unica e exclusivamente a eles, mais o caso juridicamente falando é o mesmo.
Desculpe-me se fui grosso, mais devemos andar pelo aquilo que acreditamos, e não sou juiz de ninguem.
Quanto aos grupos é uma pena que isto exista dentro do "corpo de Cristo"

God Bless you
Keeping the Rock

Moska

luiz gustavo Smoraes disse...

BLIBLIA DIZ: SEGUI A PAZ com todos, e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor;
Hebreus 12:14. Graças a DEUS, que aparentemente tudo isto chega ao fim, pois se não chegasse iria tOdos para o INFERNO. E esta paz que deve ser deguida em Hebreus fala da paz com os pecadores agora imagine a paz que devemos seguir com quem diz que é CRISTÃO.