"Que minha vida e minha glória sejam jogadas ao chão e do pó possa brotar um perfeito adorador" Filhos do Homem

segunda-feira, 29 de outubro de 2007

Show Filhos do Homem - Semana da Cultura Evangélica VI




Sábado foi aquele agito. Como estava programado, a noite de lua cheia foi animada pela banda Filhos do Homem. Que dessa vez inovou e me supreendeu.
Há muito tempo que acompanho o ministério deles, já fui a vários shows e ministrações em igrejas. E é impressionante a forma como eles tem evoluído nesse tempo. Antes de descrever a noite, já deixo adiantado que foi o melhor show de Filhos do Homem que eu já fui.
Pr. Cris entrou no palco cantando apenas com voz e violão. Fez algumas músicas assim, levando o público ao lugar de adoração. Eram 21h. Depois desse período a banda entrou e ele trocou o violão por uma guitarra SG preta. E a primeira música? A música de trabalho do FdH5. Em tudo ao meu redor. A galera pirou. Dali pra frente foi muita festa, eram crianças, adolescentes, jovens, adultos e até mesmo idosos pulando e dançando na presença do Senhor. Rolou Mãos limpas, O povo o soldado e a noiva, Ele vem, e muitos outros clássicos da banda, a última foi Me leva onde eu possa ouvir tua voz. Quando o Pr. Cris saiu do palco e a Fabrine assumiu o microfone principal, a galera estranhou, mas não deixou de curtir quando ela puxou Atrai o meu coração. A galera toda cantando junto. Depois ela cantou o lançamento que para mim é a melhor do FdH5, Aleluia. Deixo aqui os parabéns à Fabrine que conduziu muito bem o show nesse período. Quando tocaram Guerreiros da Última Geração, Pr. Cris voltou pro palco e fez uma ministração perguntando quem ali era Guerreiro. E dizendo como um verdadeiro guerreiro deve conduzir sua vida. Ali deu a notícia que em 15 dias será papai. A pastora Melissa que fez falta no palco, dará luz ao Pedro Augusto e por isso não está podendo participar dos shows. Mas as outras bailarinas deram conta do recado.
Pr. Cris também deu um recado aos jovens que ouvem música secular. "Se você quer aprender a tocar guitarra, não precisa ouvir Joe Satriani... Ouça Juninho Afran. Quando você souber tocar todas da oficina G3, já será um ótimo guitarrista!"
Depois disso ele ensinou uma pequena música ao público que cantava em um grande coro. Os músicos se apresentaram individualmente. O Jadão merece um comentário especial. O que era aquilo. Nunca vi um solo de baixo tão perfeito. Nessa brincadeira rolou de tudo, até samba. Por último cantaram Faço o Melhor e se despediram do público. Já passavam das 23h30.
Depois de mais de duas horas e meia de show o povo estava exausto, imagina a banda que tinha vindo de Manaus no dia anterior, quase 48h sem dormir. E mesmo assim quebraram tudo e o público foi embora feliz e satisfeito com a apresentação perfeita da banda paranaense.

Nenhum comentário: