"Que minha vida e minha glória sejam jogadas ao chão e do pó possa brotar um perfeito adorador" Filhos do Homem

quarta-feira, 18 de junho de 2008

Noite de Louvor - 2ª Semana da Cultura Evangélica

Banda da Comunidade AmarBanda Sementes do Avivamento

A segunda noite da semana foi de muita música e louvor. Cheguei por volta das 20h e o pastor Marlos – Comunidade Evangélica Nova Jerusalém CENJ – ministrava uma oração profetizando a unidade para toda a igreja de Itajaí.
Já estava no palco a banda da comunidade Amar que assumiu o microfone logo após a apresentação de dança de um grupo de meninas da CENJ. Não era a banda Mira, que no ano passado marcou presença como a melhor banda - minha opinião –, dessa vez acho que era o grupo de louvor da igreja, que também mandou muito bem. Com um louvor ungido e audível levaram o público a adorar a Deus de verdade.
Depois deles foi a vez do cantor Gilvan Muniz – figura conhecida na cidade – com uma seção playback cantando a música “quero que valorize”, era engraçado ver as coreografias no meio da galera. Quem também esteve na seção playback foi o cantor e radialista da cidade Mateus Quevedo.
No segmento de louvor e adoração ainda teve a banda do MEVAM estendeu um pouco o tempo de apresentação, mas conseguiu levar o público aos altos lugares da adoração.
Um boa surpresa foi a banda Sementes do avivamento, que é formada por jovens de diversas denominações, muito legal a iniciativa. Embora tenham uma musicalidade boa, faltou balancear o volume dos instrumentos. Não consegui ouvir o sax, nem o baixo e ouvi pouco o violão. Já as duas guitarras que além de estarem altas usaram um overdrive que estourava os tímpanos.
Outra novidade foi o Trio Soul, no vocal o meu amigo Everton – Tocha – e apenas violão e bateria. Fizeram um som próprio, semelhante ao Templo Soul. Nota 10 para eles.
Como não podia faltar, um grupo chamado Conexão Paulista – igreja Renascer em Cristo – fez o momento rap da noite. Eles que no ano passado se chamavam Profetas da rima, esse ano trocaram de nome e adquiriram um pouco de qualidade. Como sempre digo, o rap não é muito minha praia, mas até que não foi tão ruim.
Depois do rap uma banda – emocore – que eu não entendi o nome (imagino que seja cross, ou gloss, ou algo assim) composta por dois conhecidos meus, o Diego no baixo e o Demétrios na guitarra e um baterista que eu não conheço. A banda foi a última apresentação da noite e fez um rock – emocore – estilo NXZero. Os músicos são muito bons, o som estava bom e as letras eram legais. Mas o estilo não agradou – minha opinião.
Por volta das 22h30 estava na hora de fugir do frio, quarta-feira tem mais.


P.S. A equipe de sonorização da Silvestre Som ajudou muito as bandas e grupos que se apresentaram na noite, parabéns para eles.

Nenhum comentário: