"Que minha vida e minha glória sejam jogadas ao chão e do pó possa brotar um perfeito adorador" Filhos do Homem

quarta-feira, 27 de maio de 2009

Que não passe de nós o Teu espírito.

Encontrei essa poesia em um blog e gostei, achei legal postar aqui:

Deus me deu o meu Isaque, e o pediu.

Deus me deu o meu Samuel, e eu o entreguei.

Deus me deu também o Seu Espírito.

Porém, rogo-lhe, meu Senhor: Não retires de mim o Teu Espírito!

"Não me lances fora da tua presença, e não retires de mim o teu Espírito Santo." (Salmos 51:11)

original aqui

segunda-feira, 25 de maio de 2009

10 Conselhos para quem trabalha com música na igreja

Encontrei estes 10 Conselhos para quem trabalha com música na igreja por email e achei muito bom. Vale muito compartilhar aqui.

1. Tenha uma vida de oração.

2. Leia constantemente sua Bíblia.

3. Confronte o que você lê na Bíblia com o modo como você pensa, age e fala.

4. Conserte seus relacionamentos (família, vizinhos, trabalho, escola…).

5. Nos ensaios, tente fazer o seu melhor. Maldito é aquele que faz a obra do Senhor relaxadamente (Jr 48.10).

6. No culto, lembre-se que os adoradores estão ali por causa de Jesus e não por sua causa.

7. Se você é hábil com a voz ou com algum instrumento, lembre-se de que isto foi dado por Deus, logo, nada de vaidades.

8. Não tente atrair atenção para si. Mostrar habilidades nos instrumentos (solando ou com arranjos chamativos) ou com a voz, improvisando e distorcendo a melodia, podem atrair atenção para você, desviando a atenção que deve ser dada a Cristo.

9. Depois de cantar/tocar permaneça no culto, participando com atenção. Retirar-se depois dos cânticos é comportamento de “estrela”, totalmente impróprio em um culto em que Jesus é o centro.

10. Aprenda a analisar as letras daquilo que você canta. Uma boa melodia, nem sempre traz uma boa letra. E que prejuízo isto causa no culto. Peça ajuda do seu pastor neste sentido.

Se aplica inteiramente na vida dos músicos que estão em nossas igrejas, espero que leiam e usem (sem moderação).

Leia o texto na íntegra no Blog Resistência Protestante.

quinta-feira, 21 de maio de 2009

Pseudocristianismo

Você deve estar se perguntando o que é esse pseudocristianismo. É possível existir um pseudocristão?
O prefixo pseudo é sinônimo da palavra falso, ou seja, seria a mesma coisa dizer um falso cristão.
Seriam esses que usam a religião como negócio, do tipo que segue a filosofia de “pequenas igrejas e grandes negócios”?
Não!
São homens e mulheres que estão dentro de nossas igrejas, muitas vezes sem saber o quão distante estão do verdadeiro evangelho e principalmente da presença de Deus. Pensando que a misericórdia de Deus é um aparelho que quando acionado o botão “ON” tudo se resolve. Pensando que não importa o que faça, Deus sempre irá recebê-lo de braços abertos e tão logo esquecer todo o mal e todo pecado que cometeu.
Vivem uma vida em desarmonia com a palavra e com os mandamentos de Deus, desobedecendo e principalmente desvalorizando o sacrifício de Jesus na cruz valendo-se de alguns versículos que dizem que a misericórdia do Senhor dura para sempre (Sl 100:5), que o sangue de Jesus purifica de todo o pecado (1Jo 1:7) e outros.

Estou escrevendo sobre esse assunto, pois me levou a uma reflexão que gerou perguntas intrigantes em minha mente, do tipo:
Essas pessoas são assim de propósito ou pensam mesmo que Deus tolera esse comportamento?
Se sabem a verdade, por que não mudam?
E se não mudam, por que não abandonam de vez a religião?

Vamos as respostas:

A grande maioria das pessoas que chamamos aqui de pseudocristãs vivem suas vidas de qualquer jeito, e ainda pensam que Deus está com elas.
Um exemplo clássico e muito prático disso é o jovem Sansão. No capítulo 16 do livro de Juízes o autor nos mostra o preço que Sansão teve de pagar por brincar com o que Deus havia lhe dado, e no versículo 20 ele diz: “Porque ele não sabia que já o SENHOR se tinha retirado dele.”
E assim como Sansão muitas pessoas pensam que Deus ainda está ali em suas pregações, seu louvor, suas ministrações, quando na verdade o Senhor já se apartou. Porque a palavra de Deus é bem clara ao dizer em Gênesis 6:3 que o Espírito do Senhor não contenderá para sempre com o homem.
Temos outro exemplo de homem que se afastou de Deus, e diz a Palavra que o SENHOR se arrependeu de haver posto a Saul rei sobre Israel (1Sm 15:35).
Posso continuar citando exemplos aqui de pessoas que se afastaram e nem perceberam o quanto estavam longe de Deus.
Mas também quero falar daqueles que sabem muito bem o que estão fazendo e mesmo assim não se arrependem e continuam enganando as pessoas ao seu redor.
Como exemplo escolhi o primeiro homicida da história. Caim matou seu irmão Abel e após isso ainda respondeu à Deus como se nada tivesse acontecido, mas o Senhor Deus disse: Portanto qualquer que matar a Caim, sete vezes será castigado. (Gn 4:15)
E após isso Caim foi marcado para que todos soubessem que foi ele quem tirou a vida do próprio irmão, por inveja.
É muito fácil encontrar nas igrejas pessoas que querem aparecer por toda a lei, querem ser o melhor cantor, o melhor pregador, ou a melhor alguma coisa. Mas como Caim, suas obras são más, tem inveja dos irmãos e na primeira oportunidade tentam matar aqueles que têm boas obras e agradam a Deus.

Agora vou dar um exemplo de outra categoria na modalidade pseudocristianismo, o casal hipócrita. Ananias e Safira foram até o templo com suas – falsas – ofertas e a Bíblia diz que ali mesmo morreram por tentar enganar o Espírito de Deus.
Esse exemplo é para provar que o Senhor é o mesmo e não mudou. Porque muitos vivem dizendo que essas coisas só aconteciam no tempo da lei, antes de Jesus. Mas Ananias e Safira já estavam no tempo da graça do Espírito Santo - depois de Jesus - e mesmo assim o Deus Todo Poderoso não se deixa escarnecer e nem enganar, porque Ele era, é e sempre será!

E por fim falar daqueles que levam a casa de Deus na brincadeira, pessoas que tem a responsabilidade de zelar pelo templo, pela igreja, mas ao contrário disso fazem as mais absurdas barbáries dentro do lugar santo.
Até agora falamos em zelar pela nossa vida com Deus e pela nossa salvação, mas a bíblia também fala de dois moços, filhos do sacerdote Eli. Hofni e Finéias viviam dentro da casa de Deus e tinham suas responsabilidade junto de seu pai Eli, mas a bíblia diz que eles eram ímpios, filhos de Belial e não conheciam ao Senhor.
E por não conhecer ao Senhor, morreram em batalha contra os filisteus e deixaram que a arca da aliança fosse roubada.

Enfim, espero que todos nós venhamos sempre lembrar desses exemplos e nunca cair nos erros deles, antes ser verdadeiros cristãos, ou como disse Jesus para a mulher samaritana, verdadeiros adoradores, pois são esses que o Senhor procura.
Quiçá o Senhor encontre em nós corações dispostos a adorá-lo e servi-lo com toda a sinceridade.

Já que ninguém escapa da lei da semeadura, vamos plantar boas sementes, regá-las constantemente, para que enfim os frutos nasçam e sejam sempre frutos bons.
Ruan Ladwig

segunda-feira, 18 de maio de 2009